Geraldo Rufino no Man in the Arena #101

No episódio #101 do Man in the Arena, a inspiradora, improvável e impressionante história de Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel, pioneira e maior empresa de reciclagem de caminhões do Brasil.

A vida empreendedora de Geraldo começou aos 11 anos, quando morava com o pai e irmãos na Favela do Sapê, zona oeste de São Paulo. Na ocasião, começou a ganhar dinheiro pegando latinhas em um lixão instalado perto da favela onde morava.

Aos 13 anos, conseguiu seu primeiro emprego com carteira assinada. Iniciou a carreira no Playcenter, onde começou como office boy. Mesmo dentro da empresa, onde crescia profissionalmente, continuou com a ideia de criar um pequeno negócio para sua estabilidade.

Decidiu então comprar uma Kombi, que deu para um dos irmãos fazer carreto. O negócio evoluiu rapidamente para dois caminhões, mas, por ironia do destino, ambos se envolveram em acidentes simultaneamente. Sem dinheiro para comprar outros veículos, decidiu desmontá-los e vender as peças. Sua visão empreendedora mostrou que havia ali um mercado com grande potencial.

Nascia assim a JR Diesel, em 1985. Como ainda estava no Playcenter, deixou a nova empresa nas mãos dos dois irmãos, que perderam o foco no negócio. O resultado foi a quebra da companhia, além de dívidas em seu nome. Para resolver a situação, teve que entrar de cabeça no negócio. A ideia inicial era quitar as dívidas, limpar o nome e fechar a empresa. Mas, além de enxergar uma oportunidade de crescimento, também não queria abandonar os seis funcionários que tinha naquela época.

Foi tocando a JR Diesel e sua carreira no Playcenter, em paralelo. Mas, poucos anos depois, em 1987, acabou se envolvendo totalmente com a nova empresa e saiu do Playcenter. Foram 16 anos de companhia, chegando ao cargo de diretor da área que cuidava das unidades do Playland.

A escolha rendeu bons frutos. Os negócios iam cada vez melhor até que, em 2000, a empresa despertou o interesse de um grupo americano de concessionárias de caminhões. Em 2002, às vésperas da eleição presidencial no Brasil, os americanos abandonaram o negócio, deixando-o na mão. Entre 2002 e 2006, teve que trabalhar para recuperar o dano e mais uma das quebras. Neste período, para recuperar o dinheiro perdido e salvar o negócio, precisou vender carros, imóveis, entre outros bens. O erro estratégico, contudo, resultou em um grande presente: trazer os dois filhos, Arthur Rufino (responsável pela profissionalização da empresa e atual diretor de marketing e desenvolvimento) e Guilherme Rufino (hoje, diretor comercial e de operações), para trabalharem na JR.

Após 29 anos de mercado e muitos obstáculos superados, a empresa ocupa hoje uma área de 15 mil metros quadrados, contando com cerca de 75 mil clientes cadastrados. Desmonta cerca de mil caminhões por ano, garantindo receita de R$ 50 milhões em 2014, sendo a maior do segmento no país.

Mesmo quebrando seis vezes, Geraldo nunca deixou o sorriso no rosto e o otimismo de lado. E manteve o foco sempre na mesma atividade – reciclagem de produtos. Começou criança com as latinhas e plástico em um lixão e, hoje, possui a maior empresa de reciclagem de veículos do país. A frase "Pense Positivo" não vem apenas da boca para fora. Geraldo usa isso como mantra.

O Man in the Arena tem apoio da Livraria Cultura.  

Comentários




Últimos livros