Voltando para a Apple

Apple

Em 1987, aos 13 anos de idade, ganhei de meu pai meu primeiro computador. Era um TK-3000 IIe, da Microdigital, uma versão brasileira do Apple IIe.

Lembro-me da configuração até hoje: 320KB de memória (64KB + expansão de 256KB), disk drive de 5 1/4", e monitor de fósforo verde. Depois, viria uma impressora Epson LX300+, matricial.

Eu já gostava muito de informática. Mesmo sem computador, ficava lendo os fascículos de uma série chamada "Microcomputador Curso Básico", e ficava criando programas em BASIC que, depois, testava em computadores de amigos. Depois que ganhei o computador, fiz dezenas de joguinhos e aplicativos. Acho que, dos 13 aos 15 anos, fiquei, em média, 6 horas por dia no computador.

Nos fins de semana, eu chamava os amigos e ficávamos jogando e "trocando" programas. Na época, meu amigo Rodrigo Martinez, que estudava comigo no Pueri Domus, era um Applemaníaco e tinha centenas de softwares, espalhados em disquetes que guardava em caixas de sapato. Anos depois, o Rodrigo estava no grupo que fundou o provedor STI, vendido para a PSINet e, depois, fundou a hospedagem gratuíta hpG, vendida para o iG.

Em 1991, veio a fase do vestibular. Daí em diante, só usei computadores PC. Primeiro, um 386-DX40, depois, um 486-DX4, e vários outros em seguida. Minha vida profissional, em tecnologia, foi toda baseada em PCs e Windows.

Avançando para 2009, todo o hype em torno da Apple estava me atraindo a voltar a "experimentar a maçã". A combinação da plataforma Apple/Intel, o excelente MacOS e as aplicações baseadas na internet, tiraram todas as barreiras que podiam me impedir de largar os truculentos PCs. Então, há 3 semanas, migrei toda a minha vida digital para os produtos da Apple. Deixei meu notebook PC e meu celular Windows Mobile (ugh!), e, agora, estou com um MacBook Pro de 13" e um iPhone 3G (não consegui o GS no plano corporativo da Claro).

Após as primeiras semanas aprendendo as particularidades do Mac, posso dizer que estou 200% satisfeito com a mudança. É, Steve Jobs está certo. A experiência com um produto Apple é diferente, muito mais amistosa e natural. A integração de hardware e software é perfeita e não há experiência parecida com PCs.

E, tem mais um benefício: Não há quem deixe de admirar a maçã brilhando no belíssimo gabinete de alumínio ;-)

Comentários




Últimos livros